Macrobiótica
Novembro 1, 2016 Sem comentários Alimentação,Macrobiótica António Lopes

A Alimentação Macrobiótica teve origem no Japão, na sua versão mais moderna durante o século XIX, através do Professor George Ohsawa, que trouxe esta filosofia para a Europa, da qual o Professor Michio Kushi foi seguidor.

George Ohsawa

George Ohsawa

Apesar de ser conhecida como um regime Alimentar, assenta numa filosofia e estilo de vida do qual a Alimentação faz parte.

 

A sua estrutura tem como principal fundamento o Yin e Yang, duas fontes de energia criadoras,e através das quais todas as fontes de vida são geradas. Asaúde reside no equilíbrio destas duas formas de energia.

 

A Palavra Macrobiótica significa Grande Vida.

Grande, porque apresenta ideias para que cada individuo possa criar a sua saúde através da sua consciência alimentar.

 

Somos o que comemos e comemos como somos. Precisamos reeducar-nos, a fim de assumirmos a nossa responsabilidade, face à forma como nos alimentamos. Viver de acordo com a nossa natureza, e em sintonia com a natureza da qual dependemos, é a proposta desta filosofia de vida.

 

As refeições são elaboradas a partir dos alimentos integrais, (arroz, aveia, cevada, milet, bulgur, couscous, quinoa), leguminosas (feijão, lentilhas, grão) e vegetais de preferência da época ou de lugares com climas semelhantes ao nosso.

 

Algas (wakamé, kombu, arame, Hiziki, agar-agar, entre outras), sementes (de girassol, abóbora, sésamo, chia, cânhamo etc.) Oleaginosas (amêndoas, nozes, avelãs, etc.)

 

Idealmente com água de boa qualidade e através de métodos culinários simples e sem adição de corantes e conservantes.

 

O sal bem como os adoçantes são escolhidos de acordo com a mesma filosofia, integrais e o mais naturais possível.

 

Utilizam-se alguns produtos fermentados a fim de obter bactérias essenciais ao bom funcionamento do sistema digestivo, como:

 

Miso (pasta de feijão de soja fermentada com sal) que se utiliza em sopas e molhos,

 

Tempeh (barra de feijão de soja fermentado) que se utiliza como fonte de proteína em estufados e patês entre outras possíveis utilizações,

 

Shoyu (tempero à base de soja fermentada),

 

Vinagre de ameixa (tempero à base da fermentação de um fruto japonês),

 

Pickles de vegetais de longa e curta duração elaborados com sal, ou outro tempero sempre com base de sal,

 

Para exemplo fica um menu com base na alimentação Macrobiótica

 

Sopa de miso

(Altamente antioxidante, regenerador da flora intestinal, depurador de toxinas)

 

Arroz integral com molho de ervas

(Rico em fibra e vitaminas, excelente para promover o bom funcionamento dos intestinos)

 

Salada de grão

(Proteína vegetal rico em fibra e minerais excelente para a vitalidade do corpo)

 

Brócolos com vinagrete

(Rico em oligoelementos e fibras)

 

Sementes de sésamo a decorar

(Óleo completo e oligoelementos)

 

Creme de maçã com canela

(Sobremesa reconfortante, sem adoçantes)

 

Chá Três anos

(Rico em cálcio, com um grande poder digestivo)

 

Este é um exemplo entre muitas receitas que podem ser criadas com os fundamentos desta filosofia de vida que pretende acima de tudo dar a oportunidade ao ser humano de viver em equilíbrio consigo e com o meu ambiente que o envolve e do qual depende.

 

./.

 

Natália Rodrigues Porto

Escritora, palestrante, formadora na área da alimentação probiótica

 

 

 

 

piramidemacrobiotica

 

 

 

 

 

 

 

 

.

.

.

.

.

.

.

~/~

.

.

.

APOIE O NOSSO PROJECTO:

Visite este site regularmente  e partilhe os nossos artigos.

.

Inscreva-se no nosso grupo do Facebook:

PROBIOTICAMENTE

m.facebook.com/groups/621311187988433

Saúde | Corpo & Mente

Alimentação, probióticos & suplementação;

Horticultura bio | Arquitectura sustentável
Higiene e cosmética naturais
(…)
.

.

.

{ apoie o nosso projecto. Saiba mais aqui }

 



Siga-nos:
Tags
Sobre o autor

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *